fev 04

Sua empresa tem consciência do quanto pode estar perdendo por conta das quebras em artigos na linha de produção? Muitas não possuem um controle interno de análise de falhas e, em alguns casos, as quebras passam sem que sejam percebidas.

Esta negligência gera custos com desperdícios e produção de peças de segunda qualidade, além de atrasos e outros problemas relacionados a entregas. Por isso, no artigo de hoje trouxemos algumas das causas de quebras de produção. Confira o artigo abaixo para conhecê-las e traçar estratégias para evitá-las!

 

Perda de massa nos processos de preparação ao tingimento

Antes de dar início ao processo de tingimento ou estampagem, os artigos têxteis precisam passar por um processo denominado preparação ou pré-tratamento, para que todas as impurezas do tecido sejam retiradas. Nesta etapa, os tecidos são submetidos a processos químicos ou físicos, de acordo com o tipo de produto final que se deseja obter. Exemplos: purga, pré alvejamento e alvejamento.

A quantidade de perda varia conforme a composição do substrato que será inserido e também para as cores que elas serão tingidas. No caso de cores claras a perda é maior devido a preparação ser mais agressiva, e já em cores mais escuras, a perda é menor pois em muitos casos apenas a purga já é o suficiente na preparação.

 

Perdas em costuras e emendas

No processo de beneficiamento, são feitas costuras na montagem de lotes, unindo os rolos um ao outro. Elas também são usadas no fluxo produtivo nos equipamentos que unem lotes a lotes. Quando mal feitas podem aumentar as quebras e as perdas, por isso devem ser otimizadas ao máximo.

Já é possível amenizar as perdas neste processo, utilizando-se de tecnologias que automatizam e padronizam as costuras. A Preparadora de Malha Tubular Dupla Delta, costura de forma automática os artigos em tubular, gerando a padronização das costuras peça a peça e lote a lote, redução drástica no desperdício de matéria prima, e tudo isso através da otimização de atividade com alta produtividade.

 

E-book]Como garantir o controle de qualidade na indústria têxtil?

 

Problemas no corte de aurelas nas ramas

As malhas costumam ter uma tendência a enxarrutar naturalmente, por conta de sua fabricação em tear circular. O processo de ramagem proporciona estabilidade dimensional ao substrato e, consequentemente, eliminara o enxarrutamento.

O cortador de aurelas é responsável de cortar o material que ficou com as marcas das agulhas da corrente da rama. Este material, além de marcado por furos de agulha, não estabiliza e consequentemente enxarrutam, e devem ser cortados.

A utilização de um sistema de corte eficiente aliado a manutenção correta da rama, são fundamentais para a redução de resíduos, e desperdícios neste processo.

A linha pontilhada vermelha será o ponto de corte da aurela, pelo cortador instalado na saída da rama. Tudo além da linha pontilhada vira resíduo de malha, desperdício e, consequentemente, é somado à quebra de material. Nesse ponto uma forma de reduzir os desperdícios utilizando o Refilador de Bordas com sensor óptico inteligente e ajuste automático.

Relacionados:

 

Perdas em acabamentos

Outro ponto em que podem ocorrer perdas/quebras, são nos considerados acabamentos físicos, terciários, como a felpagem, peletisagem, navalhagem entre outros. O percentual de quebra vai variar conforme a estrutura , composição e acabamento de cada material.

É importante que cada desenvolvimento de uma nova malha seja seguido do acompanhamento e análise de perdas, que consiste em recolher todos os resíduos gerados em cada etapa do processo, pesá-los e estabelecer os percentuais toleráveis de quebra.

Uma maneira de controlar as quebras deste processo é implementar um sistema de beneficiamento eficiente, controlando os processos para e evitar os desperdícios desnecessários.

 

 

Perda de umidade natural(regain)

Quando os tecidos ficam expostos a temperatura ambiente, eles podem absorver ou perder umidade para o ambiente, prejudicando a qualidade do rolo e tornando o percentual interno de umidade do rolo diferente da parte externa que ficou exposta ao clima.

Essa umidade pode ser recuperada usando a Estação Hidro Aspersora que, de modo automatizado, equilibra a umidade do tecido como um todo. Conheça melhor este equipamento em nosso artigo sobre ele.

Já com o uso de um hidroaspersor, é possível aplicar diferentes acabamentos como impermeabilizantes, tratamentos anti-chamas, amaciantes, entre outros. Ele também ajuda a melhorar o toque, o caimento e reduz a quebra do processo.

Agora que você já conhece alguns pontos importantes que podem causar as quebras de artigos e perdas produtivas, conheça também essas 3 máquinas para acelerar e manter a qualidade no acabamento têxtil!